Pular para o conteúdo principal

Bouken-Ni #25: Inspirações

Estamos de volta! Após um hiato onde boa parte da culpa foi apenas minha, por não gostar muito da minha caneta nanquim, estamos de volta com o Bouken-Ni!!! Eu já estava com saudades, espero que alguns de vocês, queridos malucos que acompanham essas tiras, também!




Pois é, eu até gosto de assistir ao anime de Bakuman, mas quando alguém fala da série como inspiração. . .  Aiai. (Ah, a diagramadora, Se-chan, disse que o No-Name do quadro 3 podia ser usado até de avatar, eu concordei totalmente!)

ENFIM, como eu disse antes, temos muitas novidades, ou nem tantas, já que eu vou ir falando aos poucos para vocês do que estou já aqui preparando para o futuro do Bouken-Ni.

A primeira coisa, é que estou dando alguns passos rumo ao logo final da série. Graças à uma ajuda da @josikm eu estou finalmente encontrando o caminho certo. Essa é uma batalha que estou travando desde o final do ano passado, sinceramente parece um verdadeiro battle shonnen, de tantas reviravoltas rumo à versão definitiva. Olhem aí como tá ficando.

Ainda falta colocar o slogan!

E, o outro GRANDE acontecimento foi a primeira participação fora-série do Pseudo-Cult! Sim, nas web-tiras chamadas Redo Ringo, do camarada Augusto, onde o personagem mais metido do Bouken-Ni faz sua aparição como..... um galã a ser admirado?! Oh meu deus! Confiram isto!


Edit: Saiu mais uma das tiras que vai ter o Pseudo-Cult em Redo Ringo! Preciso linkar!


Olhem aí como ficou o nosso Pseudo-san no traço de Redo Ringo! Estou apaixonada!!
Bom, por enquanto é isso. Confesso que preciso urgente de um scanner. Tenho postado vários fanarts do Bouken-Ni através de fotos, mas a qualidade não é boa para trazer ao blog. Me desejem sorte! 

Comentários

  1. Saudações

    Se nem mesmo Bakuman escapa de ser uma inspiração para um grupo, então tudo está em ordem no universo do Bouken-Ni...^^

    E algo me diz que a Rika (do RedoRingo) é um tanto quanto tsundere. Só achando mesmo, ainda mais depois de uma certa chinelada e...^^

    Ótimo trabalho, Mazaki.


    Até mais!

    ResponderExcluir
  2. Também quero ser um herói de Bakuman, sem mais - nem assisto lol-.

    Está sendo divertido pra caramba poder abusar do pseudo-cult e graças a ele estamos afirmando nossos laços bloguisticos e desejos managákas ^^.

    Agora trate de não atrasar mais sra.Mazaki

    ResponderExcluir
  3. Mazaki-san, que saudades de ti!

    Olha, Bakuman não me atraiu, então, nem peguei para ler/assistir, mas acho que inspiração pode vir de qualquer lugar, só não será sempre das melhores, e mesmo uma obra ruim (não que eu considere Bakuman ruim, posto que não acompanhei a série para tirar conclusões)pode trazer inspiração para algo bom, haja visto o tanto de fanwork que consegue ser melhor que o original...

    Ótimo trabalho, Mazaki-san, concordo com a Se-chan também, daria um bom avatar, e esse logo, espero vê-lo concluído!
    Dei uma olhada no trabalho do Augusto, muito bom! Concordo com o Carlírio, meio tsundere aquela Rita...

    Até logo Mazaki-san!

    ResponderExcluir
  4. *Rika*, pensei na Rika de Sakura, e acabei escrevendo Rita, nem imagino por quê...(poxa, era Rika também! Como pude confundir?!?)

    ResponderExcluir
  5. Eu gosto de Bakuman =T
    Não uso como inspiração. Mas,meio que me identifico (*sendo fuzilada pela Mazaki*) com algumas coisas @__@

    ResponderExcluir
  6. Eu ainda quero escrever histórias fêniais igual o tio Nagai...XD

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

UQ Holder - o novo mangá de Ken Akamatsu começa com tudo!

A estréia de UQ Holder, nova obra de Ken Akamatsu se deu no mês de agosto deste ano de 2013 e foi cercada de grande expectativa: desta vez o mangaká tinha a intenção clara de fazer um mangá de ação desde o princípio.
Talvez no Brasil o trabalho de Ken Akamatsu não seja tão reconhecido quanto poderia. Sua imagem é muito marcada pelos fanservices de Love Hina. Muitos sequer chegaram a ler sua obra seguinte e de maior sucesso comercial: Mahou Sensei Negima. O plot de um menino cercado de 31 garotas também ajudou a aprofundar o preconceito de leitores que (no meu ver pessoal) parecem valorizar demais a sexualidade nos mangás, esquecendo de analisar outros aspectos como a comédia, e, principalmente, a qualidade dos personagens.


Ken Akamatsu é um mestre em criar personagens cativantes e Negima foi um grande sucesso quando conseguiu mesclar a comédia, esses personagens apaixonantes e uma dose de ação crescente. Lutas muito bem desenhadas estão nas páginas da obra de forma cada vez mais cons…

Sobre o que fala Suzumiya Haruhi, afinal?

Suzumiya Haruhi é uma série de light novels que já conta com 10 volumes e o suspense se irão haver novas publicações ou não. A história ficou mais famosa quando se transformou em anime e então a franquia caiu no gosto do público otaku pelos seus clichês cômicos, personagens carismáticos e uma dancinha viciante para viralizar. Porém muitos acabam julgando que a obra não passa de um entretenimento barato para otakus e que não possui nenhuma mensagem intrínseca. O que é um erro e eu vou dizer o motivo:

Qualquer obra, por mais comercial e batida que seja, pode conter em si uma mensagem, talvez supérflua, talvez profunda, mas não é por causa de questões visuais ou estilísticas que deve ser ignorada essa possibilidade.

Vou citar um exemplo de conhecimento mais comum no mundo do entretenimento para deixar mais simples o entendimento.

Matrix, o filme de 1999, é uma história louca sobre pancadaria alucinada entre realidade e mundo digital? Bom, essa pode ser a cara do filme, com seus efeitos …

Comentários sobre Planetes v.1

Olá a todos!
Esse ano de 2015 tem sido muito bom para leitores de mangá que também são leitores de ficção-científica. Grandes anúncios como Akira e o relançamento de Eden (ambos pela Editora JBC) são alguns dos principais nomes desse momentos, mas outros títulos de peso também chegaram às bancas. Esse é o caso de Planetes, mangá de Mokoto Yukimura, autor também de Vinland Saga (ambos publicados pelo selo Planet Mangá, da Panini).
Comentários sobre a trama



Em um futuro próximo, onde o desenvolvimento da exploração espacial já torna possível a construção de estações e bases em alguns pontos do Sitema Solar, em Planetes acompanhamos a vida de Hoshino Hachirota (ou "Hachimaki", como lhe chamam), um jovem astronauta que tem uma das funções de menor glória: lixeiro espacial. Um trabalho exigente e necessário, mas que não é dos mais gratos.
Temos, além de  outros dois tripulantes na nave Toy Box: Yuri Mihairokov, um russo que tem um motivo bastante distinto. Além deles temos a pilo…