Pular para o conteúdo principal

Participação no Yopinando Podcast 11 - Playlist 1

Olá pessoal, passando rapidamente aqui no blog antes da postagem do Bouken-Ni para divulgar uma coisa bacana. Recentemente, graças à indicação do Carlírio Neto, do  Netoin!, participei da gravação do Yopinando Podcast com um tema muito bom: Músicas de Anime.

Junto com os hosts (Evilásio Junior e Raoni), O Judeu Ateu (do Mangás Underground) e o próprio Carlírio montamos uma playlist de anisongs que apreciamos, sempre contando o motivo de nossas escolhas. 

Adorei gravar com eles, foi minha segunda participação em podcasts (o que provavelmente me ajudou a conseguir ao menos expor um pouco melhor as ideias) e a mais descontraída até então. Recomendo a todos que escutem o programa.


A screenshot da postagem do podcast (meu lindo Ubuntu aparece também na imagem!)

Link para o programa AQUI. Tenho muita vergonha de escutar minha voz gente, então digam aí se consegui me sair bem na edição final do programa!

Até loguinho com o Bouken-Ni!

Comentários

  1. Muito bom, Mazaki-san! Adoro músicas, e sempre gosto desse tipo de apresentações. Sua voz é muito boa, eu gostei de ouvir. Entendo como se sente, já gravei algumas coisas, e sei como é estranho ouvir a própria voz, é diferente do que ouvimos quando falamos, mas a sua, por incrível que pareça, não difere muito do que eu esperava. Não sei explicar muito bem, só achei que combina com o como eu imaginava que seria. Enfim, muito bom ter uma voz para relacionar a quem nos direciona algo, e suas recomendações também, adorei. Pena não ter assistido ainda alguns dos títulos citados, mas já vão para a lista de "assim que acabar essa temporada eu assisto".
    Achei interessante também ouvir a voz do Carlírio Neto, é bem diferente do que eu imaginava, mas tudo bem.(Isso de Padrinho pode acabar pegando mesmo, mas ao menos é o padrinho, e não o consigliere-este sempre morre nos filmes de máfia, o padrinho ainda consegue sobreviver em alguns filmes...).

    Mazaki-san, nem sei como dizer isso, senti um nó na garganta quando vi que você tinha participado do Yopinando, pois eu estou devendo um post para o Evilásio Junor, tenho um rascunho aqui, mas meio que sem inspiração, me falta coragem para enviar e postar. Devo ser mais covarde do que imaginei...

    Bem, foi legal ouvir sua voz, só faltam mais duas para eu completar as vozes das blogueiras que eu acompanho (aquelas duas que trabalham com você...)
    Até logo, Mazaki-san, e fique tranquila, que não deixou nada a desejar (poderia ter falado mais, mas eles tocaram em assuntos que não conhecia, sei omo isso é estranho, ficar sem o que falar, mas tudo bem).

    ResponderExcluir
  2. Hum, só percebi depois de postar, mas ali na penúltima linha, onde está escrito "omo" é "como", preciso trocar esse teclado, era possível suportar enquanto eram apenas os "a" e "s" com problemas, mas agora está complicado...

    ResponderExcluir
  3. Saudações


    A participação da Mazaki foi realmente muitio boa neste podcast. Certamente deverá ser chamada para edições futuras do Yopinando Shinbun ou do APCast.^^

    Qual seria, exatamente, a sua percepção de minha voz, nobre Fellipe? Curioso aqui...^^


    Até mais!

    ResponderExcluir
  4. É um pouco difícil de explicar, mas acho que imaginava um tom mais grave, talvez pela forma como redige seus comentários, Carlírio. Algo mais parecido com a voz do Evilásio Junior ou do Judeu Ateu, entende? Mas não exatamente o mesmo. É realmente difícil explicar...

    Mas no fim, só posso saber mesmo se o conhecer pessoalmente...

    ResponderExcluir
  5. Saudações

    Lhe compreendo, Fellipe. Às vezes também penso que a minha voz não venha à ter uma sintonia plena com o que escrevo/digito.

    Mas acredito que um pouco de empenho e treino poderá melhorar este meu "cenário atual".^^

    Até mais!

    ResponderExcluir
  6. Bem, não é como se fosse um problema, apenas é diferente. Mas eu também me impressiono com o como minha voz ficou grave na maturidade, eu sempre tive impressão de que era mais aguda, até ouvir gravada. Não sei se combina, mas é bem legal. E também, fica um pouco diferente na gravação, então, passível de erro.

    ResponderExcluir
  7. Saudações

    Acho que devo trabalhar a minha voz para a prática do podcasting. E não apenas a minha voz em si...

    No mais, tudo na mais perfeita ordem.
    Seria interessante saber como é a sua voz, nobre Fellipe.


    Até mais!

    ResponderExcluir
  8. Oi garotos. Caramba, isso aqui virou point de discussão sobre vozes, que inesperado XD

    Inesperado que tenha gostado da minha voz, Kajelani, ela é tão fininha *já me escutei bem mais no passado por causa do hábito de cantar ne*, mas tá. . .

    Devo dizer que eu também não esperava que a voz do Carlírio fosse como é, mas logo percebi que combinava perfeitamente. O mais legal da gravação foi ver que o sério dono do Netotin sabia fazer gracinha XD

    Obrigada pela participação pessoal

    ResponderExcluir
  9. Hehe, é assim que se desenvolvem as boas relações, com essas conversas despropositadas e divertidas...

    Eu não achei sua voz "fininha", Mazaki-san, é um tom gostoso. E, bem, eu tenho umas amigas cuja voz não posso definir sem fazer uma pergunta: sabe aquelas personagens irritantes de anime, com vozes esganiçadas? Então, já dá para ter uma ideia...
    Também achei, depois, que a voz do amigo Carlírio Neto combinou, mas é diferente do que eu esperava. No caso da sua, Mazaki-san, eu acho que não divergiu tanto, soou como eu imaginava, mais ou menos.

    Saber como é minha voz? Bem, para isso, eu teria de fazer uma gravação, mas sobre o quê? Bem, talvez um dia eu seja importante o suficiente na bloggosfera para ser convidado a participar de um podcast, né? Posso pensar em uma forma, mas não sei, talvez um dia...
    E eu também tinha o habito de cantar, muito. Engraçado, pois na minha adolescência, aquela fase das alterações na voz dos rapazes, eu tinha um tom, quando cantava, que lembrava um pouco o Renato Russo, do Legião Urbana (de que outro eu estaria falando?!?), mas hoje, não está mais tanto para a dele, ficou bem diferente. Eu tenho a voz meio rouca, e normalmente, falo em baixo tom, vezes há, em que tenho de me repetir para a pessoa ouvir, mas quando sou obrigado a falar alto(num seminário, na universidade, por exemplo), acho que fica meio grave. Quando a oportunidade aparecer, eu certamente mostrarei a vocês...

    ResponderExcluir
  10. Ah, já me esquecia, mas também achei interessante ver o Carlírio Neto fazendo gracinha. É o tipo de coisa que acontece pouco, e certamente dão novas perspectivas sobre a pessoa, é muito bom!

    ResponderExcluir
  11. Saudações

    Jovem amiga Mazaki, te prepares que certamente o Evilásio lhe convidará para novos podcasts, pois a sua atuação neste em questão foi realmente ótima.

    Quanto à sua voz. Sou suspeito à partir de agora, mas combinou muito contigo.

    Jovem Fellipe, não precisas ser importante na blogosfera, nem tão pouco ter algum alcance para gravar a sua voz. Caso queiras, adicione-me no Skype e conversaremos, sem o menor problema.^^

    Se quiseres participar de um podcast Fellipe, dê um toque.^^

    Amiga Mazaki e jovem Fellipe, costumo ficar bem mais à vontade quando estou entre pessoas que gosto para trocar um ideia ou que sinto bem mais à vontade. Nestes casos brinco um pouco, o que chega até a soar estranho, admito...^^

    Mas a questão é bem esta mesmo...


    Até mais!

    ResponderExcluir
  12. Te entendo sobre ficar a vontade, é bem legal estar entre pessoas que gostamos...
    Quanto ao Skype, no momento, estou sem um computador com os recursos adequados (microfone e câmera), mas se possível, farei isso. Estou esperando um notebook novo me cair no colo de presente de Natal (que dinheiro para um não está fácil de arranjar). e participar de um podcast, por enquanto, não. Mas quem sabe, num futuro próximo, eu posso me divertir fazendo isso...

    ResponderExcluir
  13. Saudações


    Sem problemas, rapaz.
    Mas é bom trocarmos ideias...

    Quando tiveres o equipamento contacte-me ou à amiga Mazaki. Serás muito bem acolhido neste meio da blogosfera, tão esplendoroso e enigmático quanto se faz parecer...^^


    Até mais!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

UQ Holder - o novo mangá de Ken Akamatsu começa com tudo!

A estréia de UQ Holder, nova obra de Ken Akamatsu se deu no mês de agosto deste ano de 2013 e foi cercada de grande expectativa: desta vez o mangaká tinha a intenção clara de fazer um mangá de ação desde o princípio.
Talvez no Brasil o trabalho de Ken Akamatsu não seja tão reconhecido quanto poderia. Sua imagem é muito marcada pelos fanservices de Love Hina. Muitos sequer chegaram a ler sua obra seguinte e de maior sucesso comercial: Mahou Sensei Negima. O plot de um menino cercado de 31 garotas também ajudou a aprofundar o preconceito de leitores que (no meu ver pessoal) parecem valorizar demais a sexualidade nos mangás, esquecendo de analisar outros aspectos como a comédia, e, principalmente, a qualidade dos personagens.


Ken Akamatsu é um mestre em criar personagens cativantes e Negima foi um grande sucesso quando conseguiu mesclar a comédia, esses personagens apaixonantes e uma dose de ação crescente. Lutas muito bem desenhadas estão nas páginas da obra de forma cada vez mais cons…

Sobre o que fala Suzumiya Haruhi, afinal?

Suzumiya Haruhi é uma série de light novels que já conta com 10 volumes e o suspense se irão haver novas publicações ou não. A história ficou mais famosa quando se transformou em anime e então a franquia caiu no gosto do público otaku pelos seus clichês cômicos, personagens carismáticos e uma dancinha viciante para viralizar. Porém muitos acabam julgando que a obra não passa de um entretenimento barato para otakus e que não possui nenhuma mensagem intrínseca. O que é um erro e eu vou dizer o motivo:

Qualquer obra, por mais comercial e batida que seja, pode conter em si uma mensagem, talvez supérflua, talvez profunda, mas não é por causa de questões visuais ou estilísticas que deve ser ignorada essa possibilidade.

Vou citar um exemplo de conhecimento mais comum no mundo do entretenimento para deixar mais simples o entendimento.

Matrix, o filme de 1999, é uma história louca sobre pancadaria alucinada entre realidade e mundo digital? Bom, essa pode ser a cara do filme, com seus efeitos …

Comentários sobre Planetes v.1

Olá a todos!
Esse ano de 2015 tem sido muito bom para leitores de mangá que também são leitores de ficção-científica. Grandes anúncios como Akira e o relançamento de Eden (ambos pela Editora JBC) são alguns dos principais nomes desse momentos, mas outros títulos de peso também chegaram às bancas. Esse é o caso de Planetes, mangá de Mokoto Yukimura, autor também de Vinland Saga (ambos publicados pelo selo Planet Mangá, da Panini).
Comentários sobre a trama



Em um futuro próximo, onde o desenvolvimento da exploração espacial já torna possível a construção de estações e bases em alguns pontos do Sitema Solar, em Planetes acompanhamos a vida de Hoshino Hachirota (ou "Hachimaki", como lhe chamam), um jovem astronauta que tem uma das funções de menor glória: lixeiro espacial. Um trabalho exigente e necessário, mas que não é dos mais gratos.
Temos, além de  outros dois tripulantes na nave Toy Box: Yuri Mihairokov, um russo que tem um motivo bastante distinto. Além deles temos a pilo…