Pular para o conteúdo principal

Brasil e Light Novels - um futuro?

Esta postagem é quase uma ironia para mim, a mesmo de um ano vinha neste espaço questionar sobre a falta de abertura e público para as light novels aqui no nosso país. Hoje mais uma vez o tema está em pauta mas por um motivo muito mais promissor - os lançamentos de novels que estão ocorrendo neste ano de 2010 no Brasil.

Ousadia e visão de mercado.

O ano de 2010 está realmente me surpreendendo quanto ao mercado editorial voltado para a cultura nipônica, especificamente mangás. Lançamentos inacreditáveis, relançamentos ousados e tantas coisas que renderiam muitos outros artigos, e provavelmente irão render mesmo em breve. Porém em relação as primeiras traduções e publicação de light novels em português devo confessar que fiquei impressionada.

Essa ousadia e investimento em algo que muitos julgavam (incluindo quem vos escreve) um mercado sem público aqui no país foi da NewPOP, a editora que mais tem causado rebuliço com lançamentos inesperados e de alta importância, como Metropolis do deus Osamu Tezuka e 1 Litro de Lágrimas (que eu estou esperando a oportunidade de comprar, afinal eu chorei um litro de lágrimas com o Dorama T.T). Apesar de ainda não haver previsão do lançamento da segunda novel definida, baseada na série de mangá BL (Boys Love, também chamado de Yaoi) que já foi publicado no Brasil pela JBC, Gravitation, já temos Tarot Café no mercado.


Porém estes lançamentos, mesmo sendo pra sub-públicos tão específicos dentro dessa gama de estilos que os quadrinhos orientais possuem, com certeza eles são sinônimo de uma mudança que pode trazer ainda muitas obras ótimas para a língua portuguesa. Claro que tudo isso só poderá se tornar realidade se a resposta dos consumidores for positiva o suficiente. Pelo que se tem visto nos comentários de sites de notícias, blogs específicos e o Twitter, podemos sim começar a ter esperanças.

Só uma questão ainda fica nebulosa - será que as outras grandes editoras irão investir nesse ramo? Provavelmente sim, se verem retorno expressivo dos primeiros lançamentos, mas esse investimento virá nos títulos mais conhecidos ou corretos para ter boas vendas? Tantas coisas que só o tempo pode mostrar. Pelo menos meu coração haruhista está animado!

Não somente por Haruhi, mas acredito sim que o mercado nacional teria muito a ganhar com obras como Full Metal Panic, Baccano, Durarara, Maria-sama ga Mitteru, isso só pensando rapidamente, afinal existem muitos outros títulos magníficos e não especificamente relacionados a obras que se tornaram anime de excelente qualidade.

Comentários

  1. Eu realmente ando muito feliz com a Newpop por esses investimentos inusitados.

    Quando se fala de light novel muitos mencionam a do Kenshin e que ela não teria ido muito bem de vendas. Mas acho que o momento era outro. Naquela época light novels não eram tão conhecidas por aqui, mas agora com vários animes vindos de LNs é um momento ótimo pra essa investida.

    Realmente espero que outras editoras também passem a investir nesse mercado. Eu teria org... ficaria realmente muito feliz se Baccano viesse pra cá :D

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  3. email enviado, removi o endereço por segurança e evitar indesejáveis spans =)

    ResponderExcluir
  4. Ah...poxa vida, estamos em 2012 e mesmo assim ainda não existem tantas light novels por aqui.

    Eu quero muito de Zero no Tsukaima, ja vi que vo ter que comprar direto do Japão mesmo T.T

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

UQ Holder - o novo mangá de Ken Akamatsu começa com tudo!

A estréia de UQ Holder, nova obra de Ken Akamatsu se deu no mês de agosto deste ano de 2013 e foi cercada de grande expectativa: desta vez o mangaká tinha a intenção clara de fazer um mangá de ação desde o princípio.
Talvez no Brasil o trabalho de Ken Akamatsu não seja tão reconhecido quanto poderia. Sua imagem é muito marcada pelos fanservices de Love Hina. Muitos sequer chegaram a ler sua obra seguinte e de maior sucesso comercial: Mahou Sensei Negima. O plot de um menino cercado de 31 garotas também ajudou a aprofundar o preconceito de leitores que (no meu ver pessoal) parecem valorizar demais a sexualidade nos mangás, esquecendo de analisar outros aspectos como a comédia, e, principalmente, a qualidade dos personagens.


Ken Akamatsu é um mestre em criar personagens cativantes e Negima foi um grande sucesso quando conseguiu mesclar a comédia, esses personagens apaixonantes e uma dose de ação crescente. Lutas muito bem desenhadas estão nas páginas da obra de forma cada vez mais cons…

Sobre o que fala Suzumiya Haruhi, afinal?

Suzumiya Haruhi é uma série de light novels que já conta com 10 volumes e o suspense se irão haver novas publicações ou não. A história ficou mais famosa quando se transformou em anime e então a franquia caiu no gosto do público otaku pelos seus clichês cômicos, personagens carismáticos e uma dancinha viciante para viralizar. Porém muitos acabam julgando que a obra não passa de um entretenimento barato para otakus e que não possui nenhuma mensagem intrínseca. O que é um erro e eu vou dizer o motivo:

Qualquer obra, por mais comercial e batida que seja, pode conter em si uma mensagem, talvez supérflua, talvez profunda, mas não é por causa de questões visuais ou estilísticas que deve ser ignorada essa possibilidade.

Vou citar um exemplo de conhecimento mais comum no mundo do entretenimento para deixar mais simples o entendimento.

Matrix, o filme de 1999, é uma história louca sobre pancadaria alucinada entre realidade e mundo digital? Bom, essa pode ser a cara do filme, com seus efeitos …

Comentários sobre Planetes v.1

Olá a todos!
Esse ano de 2015 tem sido muito bom para leitores de mangá que também são leitores de ficção-científica. Grandes anúncios como Akira e o relançamento de Eden (ambos pela Editora JBC) são alguns dos principais nomes desse momentos, mas outros títulos de peso também chegaram às bancas. Esse é o caso de Planetes, mangá de Mokoto Yukimura, autor também de Vinland Saga (ambos publicados pelo selo Planet Mangá, da Panini).
Comentários sobre a trama



Em um futuro próximo, onde o desenvolvimento da exploração espacial já torna possível a construção de estações e bases em alguns pontos do Sitema Solar, em Planetes acompanhamos a vida de Hoshino Hachirota (ou "Hachimaki", como lhe chamam), um jovem astronauta que tem uma das funções de menor glória: lixeiro espacial. Um trabalho exigente e necessário, mas que não é dos mais gratos.
Temos, além de  outros dois tripulantes na nave Toy Box: Yuri Mihairokov, um russo que tem um motivo bastante distinto. Além deles temos a pilo…