Pular para o conteúdo principal

Audiosurf - um game feito pela música!

Olá a todos!

Um pouco diferente de normalmente, hoje vou dar uma dica de game! Sim, mas esse game tem seu motivo por está aqui - e esse motivo é musical, nerd e até otaku, depende do seu uso xD


Este é o Audiosurf, game musical que utiliza as suas músicas favoritas para criar alucinantes pistas de corrida para puzzles de cores simples, porém que unidos ao visual vibrante tornam-se viciantes.

Imagine poder escolher qualquer música, anime song ou etc, do seu computador e pilotar ao som e ritmo dela em uma pista construída baseada no ritmo, voz e batida desta música. Um sonho? Mas é exatamente isso que o Audiosurf é.


Existem três modos em jogo em níveis de dificuldade, tudo ao estilo puzzle simples. Fazer combinações de cores com as pedrinhas que aparecem no caminho, desviar de outras para não perder pontos. O mesmo simples sistema de pontos já batido muito potencializado com a integração musical.

É verdade de jogos musicais estão se multiplicando todos os dias, mas o Audiosurf consegue deixar sua marca por essa persolização tão grande (literalmente suas músicas criam o game!). Particularmente eu estou viciadinha, jogando a alguns dias, somente com anime songs, é claro xDv.

Pra finalizar, um vídeo com a abertura de Zoku Sayonara Zetsubou Sensei, Kuusou Rumba, pra mostrar o potencial do game.




Matta ne!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

UQ Holder - o novo mangá de Ken Akamatsu começa com tudo!

A estréia de UQ Holder, nova obra de Ken Akamatsu se deu no mês de agosto deste ano de 2013 e foi cercada de grande expectativa: desta vez o mangaká tinha a intenção clara de fazer um mangá de ação desde o princípio.
Talvez no Brasil o trabalho de Ken Akamatsu não seja tão reconhecido quanto poderia. Sua imagem é muito marcada pelos fanservices de Love Hina. Muitos sequer chegaram a ler sua obra seguinte e de maior sucesso comercial: Mahou Sensei Negima. O plot de um menino cercado de 31 garotas também ajudou a aprofundar o preconceito de leitores que (no meu ver pessoal) parecem valorizar demais a sexualidade nos mangás, esquecendo de analisar outros aspectos como a comédia, e, principalmente, a qualidade dos personagens.


Ken Akamatsu é um mestre em criar personagens cativantes e Negima foi um grande sucesso quando conseguiu mesclar a comédia, esses personagens apaixonantes e uma dose de ação crescente. Lutas muito bem desenhadas estão nas páginas da obra de forma cada vez mais cons…

Sobre o que fala Suzumiya Haruhi, afinal?

Suzumiya Haruhi é uma série de light novels que já conta com 10 volumes e o suspense se irão haver novas publicações ou não. A história ficou mais famosa quando se transformou em anime e então a franquia caiu no gosto do público otaku pelos seus clichês cômicos, personagens carismáticos e uma dancinha viciante para viralizar. Porém muitos acabam julgando que a obra não passa de um entretenimento barato para otakus e que não possui nenhuma mensagem intrínseca. O que é um erro e eu vou dizer o motivo:

Qualquer obra, por mais comercial e batida que seja, pode conter em si uma mensagem, talvez supérflua, talvez profunda, mas não é por causa de questões visuais ou estilísticas que deve ser ignorada essa possibilidade.

Vou citar um exemplo de conhecimento mais comum no mundo do entretenimento para deixar mais simples o entendimento.

Matrix, o filme de 1999, é uma história louca sobre pancadaria alucinada entre realidade e mundo digital? Bom, essa pode ser a cara do filme, com seus efeitos …

Comentários sobre Planetes v.1

Olá a todos!
Esse ano de 2015 tem sido muito bom para leitores de mangá que também são leitores de ficção-científica. Grandes anúncios como Akira e o relançamento de Eden (ambos pela Editora JBC) são alguns dos principais nomes desse momentos, mas outros títulos de peso também chegaram às bancas. Esse é o caso de Planetes, mangá de Mokoto Yukimura, autor também de Vinland Saga (ambos publicados pelo selo Planet Mangá, da Panini).
Comentários sobre a trama



Em um futuro próximo, onde o desenvolvimento da exploração espacial já torna possível a construção de estações e bases em alguns pontos do Sitema Solar, em Planetes acompanhamos a vida de Hoshino Hachirota (ou "Hachimaki", como lhe chamam), um jovem astronauta que tem uma das funções de menor glória: lixeiro espacial. Um trabalho exigente e necessário, mas que não é dos mais gratos.
Temos, além de  outros dois tripulantes na nave Toy Box: Yuri Mihairokov, um russo que tem um motivo bastante distinto. Além deles temos a pilo…