Pular para o conteúdo principal

Review: Saki e o poder do Mahjong!

Olá a todos! Estou aqui novamente eu meio a minha rotina de dois empregos (perdoem essa rotina ter me atrapalhado de postar mais essa semana x_x) para trazer para vocês comentários sobre um anime nem tão novo, mas também nem tão velho (temporada de julho de 2009) mas que muitos desconhecem por não ser frequentemente citado. Saki, o shonnen, bishoujo, shoujo-ai que mostra um pouco do vicio japonês pelo Mahjong.

Tentarei fazer o mínimo ou nenhum spoiler, fiquem tranquilos, detesto spoiler ;P

A primeira vista Saki já diz claramente o que é: um anime sobre Mahjong, mais: um anime sobre Mahjong e cheio de garotas. E é exatamente isso que se vê durante toda a série de 25 capítulos. Com toda a popularidade de animes voltados para jogos (exemplo: Hikaru no Go) Saki já tinha a princípio de atrair os fãs desse estilo de estória. Porém para outras pessoas que nunca ouviram sequer falar de Mahjong ou não viam graça nas pedrinhas com desenhos vindas da China. Mas apesar de não haver genialidade, consegue ainda ser bem viciante.

Enredo e Características
Temos que começar lembrando sempre: Saki é um shonnen, apesar de ser focado apenas em meninas (isso se chama bishoujo, para quem não conheçe *momento dicionário otaku*). E como um shonnen onde há garotas, é claro que momentos de destaque ao corpo daquela personagem peituda acontecem, algo que não me agrada muito, esse estilo ecchi, mas em Saki não chega a ser irritante pra quem não é fã disso.
A estória é bem básica para um anime focado em um jogo: a protagonista super poderosa no Mahjong joga por alguma motivação pessoal que vai levá-la a competir e tentar chegar ao topo desse universo do game. A única coisa que ainda não tinha visto (também não vi ainda muitos animes de jogos) é uma trama onde o foco estivesse também muito na competição em grupo. Uma característica que até ajuda bastante nos momentos de competição e tensão (afinal o sucesso de um depende do sucesso de todos do grupo, o que até ameniza um pouco o efeito "cheguei e venci" da Saki).



Personagens
Os personagens de Saki tambpém são um ponto bem cheio de clichês. Com um tom de shoujo-ai espalhado pelo ar em todos os capítulos (um shoujo-ai típico para o público de shonnen), o anime não consegue fugir muito das regras.
A heroína super poderosa, porém desajeitada e até inocente enquanto joga. A "mocinha", uma super jogadora que tem uma rivalidade e amizade muito forte(mesmo!) com a heroína. A comilona espalhafatosa, a ojou*dondoca* rica e metida a melhor de todas, a garota boazinha ao extremo, a garota que parece muito mais nova que as outras pela atitude infantil e fofa.. e assim por diante!
Porém, apesar de todos esse clichês, Saki consegue ter personagens cativantes. Eu particularmente confesso que acho a Koromo muito fofa de verdade ^.^ . E fora o shoujo-ai forçado das protagonistas existe outro 'casal' bem cativante e interessante (Yumi [Yuu Kobayashi] e Momoko [Momoko Saito]). Sem falar de outras personagens que conseguem além de nos divertir, nos fazer torcer com vontade a favor nos torneios!
Apesar de assistir animes com olhos críticos, procurando sempre entender o que diferencia aquele anime porcaria de um clássico e devo dizer: não entendo o que faz os personagens de Saki tão simpáticos! Só sei que adorei. (de duas, uma: ou é um poder secreto ou eu sou muito coração mole que amo tudo xD).
Animação e visual.
Visual bom e bem colorido com certeza, nada de excepcional, mas que se encaixa bem no clima do anime. Isso sem falar que os efeitos bem viajantes durante as partidas de Mahjong são bem legais xD
Músicas
Pra mim, em particular, música de anime é algo MUITO IMPORTANTE! Muitos animes eu comecei a ver graças a música, muitos animes eu tenho implicância pelas músicas sem graça. Eu já organizei animeke de eventos e participei em outros de concursos! Anime song é tudo pra mim! XD
Mas enfim, voltando ao tema. As músicas de Saki são divertidas e casam muito bom com o clima da estória e com o tema (com direito a letras compostas de termos do Mahjong xD). Não tenho uma música favorita, mas é uma trilha que fiz questão de ter na minha biblioteca assim que saiu por inteiro. Vale a conferida para quem gosta de músicas felizes e animadas. /o/


Por fim.... Mahjong!



Nossa, quase achei que não chegaria no principal, o Mahjong. Particularmente eu já era curiosa sobre esse jogo a um tempo, porém pela falta de material de fácil acesso em português nunca tinha me aprofundado. Então chega Saki e.... oportunidade perfeita!

O jogo, apesar de bem complicado de entender (muitas regras e num ritmo frenético no anime) consegue empolgar. Claro que sem procurar nada sobre o assunto e tentar aprender um pouquinho de Riichi Mahjong as coisas continuam bem nubladas, nada que o senhor Google com muito esforço não possa ajudar.

Para adiantar o trabalho dos interessados, dois link muito bons em português

http://bokunosonzai.blogspot.com/ - Blog do Leandro Nishima que, além de tratar outras coisas, fala de sites recomendados para jogar online e mais outras coisinhas =)


http://sites.google.com/site/maajanemsp/ - Site de São Paulo ALTAMENTE recomendado para quem quer aprender a jogar Mahjong. Regras passo a passo muito bem explicadas. Ótimo trabalho (e eu já me candidatei a fazer um novo layout pra eles a tempos, quando eles quizerem vai ser divertido o/)

e para jogar online eu indico o http://mahjongtime.com - eu mesma jogo quase todos os dias lá. Totalmente em inglês (já que os melhores sites são todos em japonês -.-), quem quizer procure "lilianegima" que sou eu XD (nick de épocas antigas que se mantem até hoje as vezes).


Considerações finais:

Sim, Saki é shounen.
Não, ele não tem yuri, o nome disso é shoujo-ai (mesmo que o entre a Saki e a Nodoka seja muito forçado).
É, as músicas são divertidas *-*
E Claro! O jogo de Mahjong e o anime de Saki são muito divertidos!

Matta ne!

Comentários

  1. Ótima postagem Lilian
    E valeu por citar o blog. Também costumo entrar muito no Mahjong SP. Quando comecei a jogar não parava de perguntar coisas para o Márcio, dono do site.

    E não sabia que você jogava on-line. Qualquer dia desses a gente podia jogar uma partida. ^^

    ResponderExcluir
  2. Olá Lilian!

    Tbm agradeço por citar o meu site!
    Foi uma grande coincidência lançarem Saki pouco tempo depois do site!

    Quanto ao novo layout, estava procurando a mensagem q você mandou mas não achei... Quem sabe, qdo tiver tempo, eu resolva mudar. :)

    Tks!

    ResponderExcluir
  3. Ah! Agora vi a página "Sobre a autora" e achei seu e-mail! rs

    Qq coisa te escrevo!

    Bye!

    ResponderExcluir
  4. Quem quiser saber mais sobre Riichi Mahjong pode dar uma passada no site www.tenpai.com.br também.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

UQ Holder - o novo mangá de Ken Akamatsu começa com tudo!

A estréia de UQ Holder, nova obra de Ken Akamatsu se deu no mês de agosto deste ano de 2013 e foi cercada de grande expectativa: desta vez o mangaká tinha a intenção clara de fazer um mangá de ação desde o princípio.
Talvez no Brasil o trabalho de Ken Akamatsu não seja tão reconhecido quanto poderia. Sua imagem é muito marcada pelos fanservices de Love Hina. Muitos sequer chegaram a ler sua obra seguinte e de maior sucesso comercial: Mahou Sensei Negima. O plot de um menino cercado de 31 garotas também ajudou a aprofundar o preconceito de leitores que (no meu ver pessoal) parecem valorizar demais a sexualidade nos mangás, esquecendo de analisar outros aspectos como a comédia, e, principalmente, a qualidade dos personagens.


Ken Akamatsu é um mestre em criar personagens cativantes e Negima foi um grande sucesso quando conseguiu mesclar a comédia, esses personagens apaixonantes e uma dose de ação crescente. Lutas muito bem desenhadas estão nas páginas da obra de forma cada vez mais cons…

Sobre o que fala Suzumiya Haruhi, afinal?

Suzumiya Haruhi é uma série de light novels que já conta com 10 volumes e o suspense se irão haver novas publicações ou não. A história ficou mais famosa quando se transformou em anime e então a franquia caiu no gosto do público otaku pelos seus clichês cômicos, personagens carismáticos e uma dancinha viciante para viralizar. Porém muitos acabam julgando que a obra não passa de um entretenimento barato para otakus e que não possui nenhuma mensagem intrínseca. O que é um erro e eu vou dizer o motivo:

Qualquer obra, por mais comercial e batida que seja, pode conter em si uma mensagem, talvez supérflua, talvez profunda, mas não é por causa de questões visuais ou estilísticas que deve ser ignorada essa possibilidade.

Vou citar um exemplo de conhecimento mais comum no mundo do entretenimento para deixar mais simples o entendimento.

Matrix, o filme de 1999, é uma história louca sobre pancadaria alucinada entre realidade e mundo digital? Bom, essa pode ser a cara do filme, com seus efeitos …

Comentários sobre Planetes v.1

Olá a todos!
Esse ano de 2015 tem sido muito bom para leitores de mangá que também são leitores de ficção-científica. Grandes anúncios como Akira e o relançamento de Eden (ambos pela Editora JBC) são alguns dos principais nomes desse momentos, mas outros títulos de peso também chegaram às bancas. Esse é o caso de Planetes, mangá de Mokoto Yukimura, autor também de Vinland Saga (ambos publicados pelo selo Planet Mangá, da Panini).
Comentários sobre a trama



Em um futuro próximo, onde o desenvolvimento da exploração espacial já torna possível a construção de estações e bases em alguns pontos do Sitema Solar, em Planetes acompanhamos a vida de Hoshino Hachirota (ou "Hachimaki", como lhe chamam), um jovem astronauta que tem uma das funções de menor glória: lixeiro espacial. Um trabalho exigente e necessário, mas que não é dos mais gratos.
Temos, além de  outros dois tripulantes na nave Toy Box: Yuri Mihairokov, um russo que tem um motivo bastante distinto. Além deles temos a pilo…