Pular para o conteúdo principal

Relevante ou não

Bom, a vida é assim, agente conseguem emprego, mas sabe que não vai pagar as dívidas com ele, mas que pelo menos ainda terá onde morar, o que é muito alias. Realmente não quero que ninguem se iluda de que é muito fácil revolucionar a própria vida, porque não é! Se sofre, se anseia e sente medo de dar tudo errado. O importante pra mudar a própria vida na verdade, continuar a ser o que sempre foi a principio: um motivo verdadeiro que seja verdadeiro até o fim. Pois, quando se achar no aperto, sem saber se haverá um teto ali pra abriga-lo daqui a umas semanas, apenas o motivo pra toda essa revolução é que vai fazer com que exista significado nessa luta.

Uau, quanta coisa filosófica escrita de uma só vez! Na verdade isto que acabei de escrever é um conselho e reflexão também para mim mesma, que passo por esse duro processo de se reestabilizar na nova viva revolucionada. Provavelmente vai ficar tudo certo comigo (só espero que o dono do imóvel seja compreensivo ou meu novo chefe pra me adiantar metade da grana o.o). O importante é continuar caminhando, infelizmente percebendo que as chances de eu não ter mais todo o tempo do mundo livre para amar durante a semana estão aumentando junto com a minha pendência no banco. Mas mesmo assim feliz, porque a vida no século 21 é assim mesmo, corrida, mas há espaço para todos, todos os que lutarem.

Mas chega de tanta filosofia e vamos... filosofar! Mas dessa vez sobre algo mais relativo, abstrato e incrivelmente parecido com o mundo real: a blogosfera.

Um blog é como a voz de uma pessoa, é através dele que alguém pode expor o que pensa, ou seu dia-a-dia, ou divugar uma idéia, são realmente enormes as possibilidades que se abrem com um blog.

A questão nisso tudo é: como saber que sua voz será ouvida em meio a tantas? A quantidade de blogs mundo a fora é realmente enorme, então é bem correto dizer que existe lugar, para aqueles que lutarem!

Não existe fórmula secreta, mas existem boas práticas, como postar frequentemente, imaginar que tipo de público lê o blog e escrever de acordo com o tipo de linguagem e cultura dessas pessoas e outras coisas. Mas o mais importante de tudo é na verdade o mais simples: escrever sobre algo que se goste. Porque quando estiver no mar de blogs, buscando uma luzinha para ser enxergado, é esse motivo para existir o blog que fará toda a diferença, que manterá o caminho, que talvez sim ou não, leve ao sucesso.

Eu mesma estou a alguns anos procurando essa resposta para como fazer de um blog algo relevante e ainda não terminei essa pesquisa, o importante é escrever e com prazer, como faço aqui no Mundo Mazaki, que depois de idas e vindas, talvez esteja novamente se aproximando da agilidade e completude de alguns anos atrás.

Hoje sinto que falei muita coisa inútil e incrivelmente de forma parecida sobre duas coisas bem diferentes, talvez seja apenas impressão causada pela hora tardia. Em pensar que irei ter que acordar cedinho de dia... Que bom, quem sabe assim eu encontre o meu outro emprego que me aguarda em algum lugar o/

Por hoje fica isso. Na próxima noite, ou madrugada, eu volto com algo mais interessante de se ler. Agora é hora de cuidar dos outros blogs, antes de ir dormir.

Matta ne!

Comentários

  1. I will not agree on it. I over precise post. Especially the appellation attracted me to review the whole story.

    ResponderExcluir
  2. Easily I agree but I about the list inform should prepare more info then it has.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

UQ Holder - o novo mangá de Ken Akamatsu começa com tudo!

A estréia de UQ Holder, nova obra de Ken Akamatsu se deu no mês de agosto deste ano de 2013 e foi cercada de grande expectativa: desta vez o mangaká tinha a intenção clara de fazer um mangá de ação desde o princípio.
Talvez no Brasil o trabalho de Ken Akamatsu não seja tão reconhecido quanto poderia. Sua imagem é muito marcada pelos fanservices de Love Hina. Muitos sequer chegaram a ler sua obra seguinte e de maior sucesso comercial: Mahou Sensei Negima. O plot de um menino cercado de 31 garotas também ajudou a aprofundar o preconceito de leitores que (no meu ver pessoal) parecem valorizar demais a sexualidade nos mangás, esquecendo de analisar outros aspectos como a comédia, e, principalmente, a qualidade dos personagens.


Ken Akamatsu é um mestre em criar personagens cativantes e Negima foi um grande sucesso quando conseguiu mesclar a comédia, esses personagens apaixonantes e uma dose de ação crescente. Lutas muito bem desenhadas estão nas páginas da obra de forma cada vez mais cons…

Sobre o que fala Suzumiya Haruhi, afinal?

Suzumiya Haruhi é uma série de light novels que já conta com 10 volumes e o suspense se irão haver novas publicações ou não. A história ficou mais famosa quando se transformou em anime e então a franquia caiu no gosto do público otaku pelos seus clichês cômicos, personagens carismáticos e uma dancinha viciante para viralizar. Porém muitos acabam julgando que a obra não passa de um entretenimento barato para otakus e que não possui nenhuma mensagem intrínseca. O que é um erro e eu vou dizer o motivo:

Qualquer obra, por mais comercial e batida que seja, pode conter em si uma mensagem, talvez supérflua, talvez profunda, mas não é por causa de questões visuais ou estilísticas que deve ser ignorada essa possibilidade.

Vou citar um exemplo de conhecimento mais comum no mundo do entretenimento para deixar mais simples o entendimento.

Matrix, o filme de 1999, é uma história louca sobre pancadaria alucinada entre realidade e mundo digital? Bom, essa pode ser a cara do filme, com seus efeitos …

Comentários sobre Planetes v.1

Olá a todos!
Esse ano de 2015 tem sido muito bom para leitores de mangá que também são leitores de ficção-científica. Grandes anúncios como Akira e o relançamento de Eden (ambos pela Editora JBC) são alguns dos principais nomes desse momentos, mas outros títulos de peso também chegaram às bancas. Esse é o caso de Planetes, mangá de Mokoto Yukimura, autor também de Vinland Saga (ambos publicados pelo selo Planet Mangá, da Panini).
Comentários sobre a trama



Em um futuro próximo, onde o desenvolvimento da exploração espacial já torna possível a construção de estações e bases em alguns pontos do Sitema Solar, em Planetes acompanhamos a vida de Hoshino Hachirota (ou "Hachimaki", como lhe chamam), um jovem astronauta que tem uma das funções de menor glória: lixeiro espacial. Um trabalho exigente e necessário, mas que não é dos mais gratos.
Temos, além de  outros dois tripulantes na nave Toy Box: Yuri Mihairokov, um russo que tem um motivo bastante distinto. Além deles temos a pilo…